Jéferson Assumção lança 'Berço de Judas' em Porto Alegre

Literatura

14 de dezembro de 2019

Berço de Judas (Editora Taverna), de Jéferson Assumção, será lançado dia 14 de dezembro, sábado, a partir das 19h, na Livraria Taverna (Fernando Machado, 370). O livro conta a história do ex-gráfico e agora lutador Yuri F. Rodriguez. Incomodado com a crescente brutalidade e infantilização do mundo ao seu redor, o alto e magro gráfico e escritor Yuri toma uma decisão improvável. Vira um enorme lutador de luta livre que, após meses de exercícios e remédios, se torna imbatível no ringue. Adota o nome de Astronauta Cinzento, que remete à infância e à necessidade de cumprir uma promessa feita ao pai, morto numa briga.

A violência maior, no entanto, é a que começa a se derramar do ringue para os cantos escuros de Porto Alegre. Manejando improvisados equipamentos de tortura medieval lidos num livro, entre os quais o terrível Berço de Judas, Yuri está se desforrando de forma cruel do mundo “imbecilizado pela lutinha”, “pelas corridas de carros”, “pela musicaiada”, que, segundo ele, o impossibilitam de se tornar um grande artista.

Enquanto se afunda nas lutas e na violência, surge um impossível amor: Stela é uma jovem sonhadora, ativista sexual, politicamente engajada na transformação da sociedade. Traz os ares de um mundo novo para um homem que já está deixando tudo para trás. Yuri está sofrendo as consequências dos remédios e partirá para um último e desesperado ato de dignidade.

Berço de Judas é o primeiro volume do tríptico O Inferno dos Sentidos, que será lançado pela Taverna até 2021. Os demais títulos são Os Beatles Negros e Homem-rã. O nome tríptico remete às obras do pintor renascentista Hieronymus Bosch (1450-1516), de O Carro de fenoO Jardim das Delícias e As Tentações de Santo Antão, todos com três quadros cada e uma moldura tríptica.

Embora independentes entre si, o pano de fundo dos três romances é o êxodo rural brasileiro, dos anos 60 e 70, em que o aumento repentino e violento das populações das regiões metropolitanas inchou o entorno das capitais com enormes impactos sociais, econômicos e culturais até hoje. “Algo que ficou durante décadas como intermediário entre o interior e a capital. É preciso compreender melhor este mal-entendido Brasil tão profundo quanto os mais invisibilizados sertões e cerrados brasileiros, com suas relações sociais, econômicas e culturais próprias”, diz Assumção. Ao todo, os três livros abarcam cerca de 50 anos desse fundo social e cultural vividos pelos personagens.

 

Jéferson Assumção nasceu em Santa Maria-RS, em 1970. É autor de mais de 20 livros, entre romances, contos, livros infanto-juvenis e de não-ficção. Doutor em Filosofia pela Universidade de León (Espanha), fez pós-doutorado em Literatura na Universidade de Brasília (UnB). Ministra Oficina de Escrita Criativa, em Brasília e Porto Alegre, onde mora. Junto com a família, na década de 70, Assumção saiu de Santa Maria com quatro anos para Canoas, onde, antes de estudar filosofia, trabalhar em jornais e escrever dezenas de livros, foi camelô na década de 80.

 

Sobre o autor e o livro, por Luiz Ruffato e Tabajara Ruas

“O que sempre se sobressai, em toda a obra, é o olhar compromissado com os destituídos do mundo, que ele conhece bem. Com uma trajetória pouco comum no mundo literário – filho da classe média urbana baixa, vítima do êxodo rural, ele mesmo camelô -, Jéferson Assumção é uma voz diferenciada no quadro atual da literatura brasileira.” (Luiz Ruffato)

“É inevitável sentir uma opressão física quando se lê Berço de Judas, porque o protagonista-narrador nos arrasta para seu mundo sem nenhum pudor. Do confortável mundo da literatura para a parte mais sórdida da noite de Porto Alegre, para os bordéis baratos e para uma paixão desesperada por uma mulher desafiadora, militante da liberdade sexual e de todas as liberdades, que aprisiona Iuri em sua rede de prazer e ansiedade.

Berço de Judas, de Jéferson Assumção, é o romance de um autor deste século, pós tudo e pós todos, o mesmo do memorável ‘Cabeça de mulher olhando a neve’, agora ainda mais maduro e desafiador, tocando sua plenitude como escritor. Com Berço de Judas, Jéferson escreveu um romance que medita sobre o mistério da literatura e que logo dispara como um folhetim de aventuras, e depois se transforma numa meditação sobre a alienação e penetra nos sombrios túneis da culpa, do horror e do mistério onde busca junto com seus leitores resposta para se há espaço ou não para a redenção e a esperança.

Primeira narrativa de um novo tempo e de novos moralismos, novos medos e depressões, onde todos vamos nos encontrar em algum momento de profundo terror. A prosa de Jéferson Assumção é clara e fria como o gelo e assim fascinante e atraente. Não há tédio em sua escrita sóbria, intocável às tentações. O que está nas páginas de Berço de Judas é a saga do aspirante a escritor Iuri, e nada mais além de sua viagem pelos desvãos do inferno que todos habitamos.

Romance múltiplo, sem concessões, direto e objetivo como um soco no estômago, 'Berço de Judas' ainda impacta o leitor com um final totalmente surpreendente, que o transforma num épico existencial, e nos deixa com a sensação única de que estamos lendo um livro vindo do futuro.” (Tabajara Ruas)

 

SERVIÇO

Dia: 14 de dezembro
Horário: 19h
Local: Livraria Taverna (Fernando Machado, 370)
 

Valores e disponibilidade são responsabilidades dos produtores

Entrada franca.

Compartilhe
GALERIA DE FOTOS