Elza Soares recebe título de Doutora Honoris Causa pela UFRGS

Cantora e compositora carioca é a primeira artista negra ligada à música popular que recebe essa distinção no Brasil

Música

26 de maio de 2019

A cantora e compositora Elza Soares recebe no próximo domingo, 26 de maio, o título de doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A sessão de entrega da distinção será realizada no Salão de Atos da Universidade às 20h.

Após a entrega, no mesmo local, Elza participa do projeto Coisas Essenciais da Vida, com o músico e escritor José Miguel Wisnik. Elza e Wisnik vão conversar sobre arte e música e darão depoimentos sobre o que, para eles, é essencial atualmente. Por fim, a cantora autografa sua biografia, Elza, escrita pelo jornalista Zeca Camargo.

O título de doutora Honoris Causa foi proposto pelo Instituto de Artes da UFRGS e pelo Departamento de Difusão Cultural, sendo aprovado por unanimidade em sessão do Conselho Universitário na última sexta-feira, 17. Essa é a primeira vez que uma artista mulher e negra ligada à música popular recebe a distinção no Brasil – no rol de cantoras, somente Maria Bethania recebeu tal título pela Universidade Federal da Bahia, em 2016.

A sessão já está com os ingressos esgotados para o público desde ontem, segunda-feira.

Sobre Elza Soares

Com 35 álbuns gravados (fora os compactos e coletâneas) e mais de 60 anos de carreira, Elza Soares é uma das maiores personalidades da história da música popular brasileira. Eleita a Melhor Cantora do Milênio pela BBC de Londres em 1999, Elza viu seus trabalhos serem aclamados pelo público e pela crítica. Um de seus discos mais recentes, A mulher do fim do mundo (2015), recebeu o Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira e o prêmio de Melhor Álbum pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA). Com um percurso sempre pautado pela ousadia, a artista se mantém atual e aberta a novas tendências, transitando também pelo rap e pelas experimentações com música eletrônica e incorporando temas relacionados ao preconceito étnico-racial, ao empoderamento feminino e à valorização das religiões de matriz africana.

Sobre o projeto Coisas Essenciais da Vida
A frase ‘coisas essenciais da vida’, mote da Série Depoimentos, desenvolvida pelo Departamento de Difusão Cultural em 2002 e 2003, foi inspirada no livro Walden, do escritor americano Henry Thoreau, publicado em 1854. Nesse texto, o autor conta como viveu isolado durante dois anos. Ao deixar a cidade afastando-se do convívio social, Thoreau buscava, antes de mais nada, uma radical reflexão sobre o sentido de viver bem a vida. A partir da obra de Thoreau, foi concebido o projeto ‘Coisas Essenciais da Vida’, que tinha como proposta central o questionamento sobre o que pode ser considerado essencial na vida moderna, marcada não só pelo excesso – e pelo desperdício – de tudo que é palpável, como alimentos e objetos, mas também pelo excesso de estímulos e informações.

Hoje, passados mais de quinze anos, o tema continua atual e urgente. Por isso a ideia de reeditar um dos mais marcantes depoimentos da série: aquele realizado pela cantora e compositora Elza Soares ao lado de seu parceiro de inúmeros projetos, o ensaísta e compositor Zé Miguel Wisnik.
 

SERVIÇO

Distinção de Doutora Honoris Causa a Elza Soares + Conversa com José Miguel Wisnik – projeto Coisas Essenciais da Vida + sessão de autógrafos da biografia ‘Elza’

Data: 26/05

Horário: a partir das 20h

Local: Salão de Atos da UFRGS (Av. Paulo Gama, 110, Porto Alegre)

 

Valores e disponibilidade são responsabilidades dos produtores

IngressosESGOTADOS

Compartilhe