Coletivo musical paulista Samuca e a Selva faz sua estreia em Porto Alegre

Banda apresenta canções de seu recém-lançado álbum Tudo que move é sagrado, com releituras originais de canções de Ronaldo Bastos

Música

15 de junho de 2019

A banda paulista Samuca e a Selva faz sua estreia em Porto Alegre no dia 15 de junho, às 22h, no palco do Agulha. Em um show vigoroso e dançante, o coletivo apresenta canções de seu recém-lançado álbum Tudo que move é sagrado, com releituras originais de canções icônicas de Ronaldo Bastos, além de sucessos de Madurar, primeiro disco do grupo, lançado em 2016, e que rendeu à banda uma indicação ao 28º Prêmio da Música Brasileira como melhor grupo na categoria canção popular. 

Na apresentação, o coletivo mostra canções regadas à poesia com menções claras a ritmos regionais do Brasil como o baião e o ijexá, atrelados à influência de gêneros mais universais como o jazz, a salsa, o soul e o afrobeat, deixando clara a diversidade de um trabalho consistente que vem sendo reconhecido por público e crítica. No repertório, estão releituras de canções originais marcantes de Ronaldo Bastos, como Trem AzulAmor de Índio e Chuva de Prata, além das autorais Madurar e Detergente.

Samuca e a Selva é fruto da união entre o cantor e compositor Samuel Samuca a um grupo de músicos de projetos de sucesso na cena da música contemporânea de São Paulo: Victor FãoBio BonatoFabio José e Guilherme Nakata, da Nomade Orquestra; Felippe Pipeta, da OBMJ; além de Allan SpirandelliKiko BonatoLéo Malagrino e Lucas Coimbra completando o decateto. Juntos desde 2014, vêm conquistando público e crítica com um trabalho que mescla suas canções à influência da música regional brasileira, jazz e world music em apresentações sempre marcantes por seu calor e vigor.

O novo trabalho, Tudo que move é sagrado, foi considerado pela crítica como um dos principais lançamentos da Música Brasileira em 2018. O álbum foi produzido por Mauricio Tagliari e tem participações de nomes marcantes como Criolo, Luedji Luna, Liniker, Siba, Filipe Catto, Lenna Bahule e Alfonsina.

O show na capital gaúcha tem apresentação do Circuito Orelhas, projeto independente de shows que quer fortalecer o cenário musical da capital e impulsionar novos artistas, promovendo apresentações de variados portes, para públicos diversos e em diferentes palcos da cidade, sempre associando artistas que vêm se destacando na cena musical a artistas locais. A abertura do show de Samuca e a Selva ficará por conta do Renascentes, quarteto de Porto Alegre formado por João OrtácioÁtila VianaEduardo Morlin e Dionísio Monteiro. O grupo mostrará seu segundo álbum, Dia Real Inventado, trabalho que busca nos ritmos, harmonias e melodias o folclore regional inserido na música pop e experimental.

SERVIÇO

SAMUCA E A SELVA

Dia 15 de junho, sábado, às 22h

Agulha (Rua Conselheiro Camargo, 300 - São Geraldo, Porto Alegre/RS)

Abertura do bar: 19h

Classificação etária: 16 anos

 

Valores e disponibilidade são responsabilidades dos produtores

Ingressos:

Lote promocional: R$ 40,00

1º lote: Solidário R$ 50,00 / Meia-entrada R$ 50,00 / Inteiro R$ 100,00

2o lote: Solidário R$ 60,00 / Meia-entrada R$ 60,00 / Inteiro R$ 120,00

Solidário: Valor reduzido, com a doação de 1kg de alimento não perecível ou itens de higiene pessoal, disponível para qualquer pessoa. As doações deverão ser entregues no Agulha, no momento da entrada ao evento. É imprescindível entregar a doação para fazer uso do benefício do desconto, caso contrário será cobrada a diferença do valor do ingresso na bilheteria.

Meia-entrada: Para o benefício da meia-entrada (50% de desconto), é necessária a apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) na entrada do espetáculo. Os documentos aceitos como válidos estão determinados na Lei Federal 12.933/13.

Vendas:

Online no Sympla

Agulha: somente no dia do evento, a partir das 19h, conforme disponibilidade.

INGRESSOS

www.sympla.com.br

Compartilhe