15 de fevereiro de 2019

Projeto Concha lança Residência Artística para mulheres

Inscrições são gratuitas e foram prorrogadas até 18 de março

Música

Depois de um ano de êxito na cena musical de Porto Alegre, o Projeto Concha, idealizado pela produtora cultural Alice Castiel, chega com força em 2019. Com apoio do Natura Musical e com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, a iniciativa passa a ter uma programação estendida, reunindo, para além das apresentações musicais, um projeto de Residência Artística para mulheres. Com inscrições gratuitas, o edital recebe candidaturas de 14 de fevereiro a 18 de março.

Residência na Concha é um projeto que visa estimular a produção e pesquisa de mulheres do estado que trabalham com música, sob orientação da artista sonora Isabel Nogueira e masterclasses com artistas como Juçara Marçal, Alessandra Leão, Angélica Freitas e Bárbara Santos, além de outros nomes que serão confirmados em breve. Quinze artistas com interesse na construção artística e intercâmbio, no debate sobre a criação individual e coletiva, no espaço para o amadurecimento criativo e principalmente no conhecimento de novas linguagens sonoras serão selecionadas pelo edital. Após o período de residência, as participantes farão uma mostra de encerramento com apresentação de trabalhos desenvolvidos.

 

Dos bastidores aos palcos, elas

Motivada pela quantidade e diversidade de mulheres produzindo, compondo, tocando e cantando, mas sem acesso a selos, gravadoras ou à programação de festivais, Alice Castiel (foto) gestou o Projeto Concha para apresentar exclusivamente o trabalho delas. A busca por ocupar os palcos com a música das mulheres jogou luz em nomes do cenário local e outros de projeção nacional. Em 11 edições, todas no Agulha, bar e casa de show no Quarto Distrito da cidade, o Concha trouxe atrações como Xênia França, Letrux, Luedji Luna e Maria Beraldo, ao mesmo tempo em que apresentou Saskia, Raquel Leão, Pâmela Amaro, Thays Prado, As Aventuras e o coletivo Enxame.

Para 2019, a programação será dividida em três eixos: difusão, formação e estímulo à produção. No eixo difusão, serão realizados shows com artistas nacionais e locais, que acontecerão em oito edições, uma por mês. Para ampliar o acesso às apresentações, parte dos ingressos serão comercializados a preços populares e outra parte será distribuída gratuitamente para mulheres envolvidas com projetos sociais. A partir dos shows, será gravada uma coletânea de oito músicas, uma de cada artista, que será disponibilizada gratuitamente nas principais redes de compartilhamento musical.

No eixo formação, o Projeto Concha oferecerá seis oficinas gratuitas que buscam a formação do mercado técnico e artístico musical, voltadas para mulheres, exclusivamente, com conteúdos e datas a serem divulgados em breve. “A ideia é instrumentalizar para todos os departamentos de produção novas profissionais – precisamos de mulheres trabalhando na sonorização, iluminação, produção de palco, etc”, conta Alice.

O eixo produção será o momento da residência artística gratuita, que fornecerá subsídios técnicos e criativos para a fomentar a produção autoral, além de orientação e acompanhamento. As inscrições devem ser enviadas até às 23h59 do dia 14 de março, neste link. É necessário ser maior de 18 anos, residente do estado do Rio Grande do Sul, ser mulher, cis, ou trans, possuir trabalhos individuais e autorais já existentes e trajetória artística comprovada e disponibilidade para participar de no mínimo 80% dos encontros e da mostra de encerramento do projeto.

 

Para abrir o ano, a originalidade paulista de Anelis

Com a mistura da sensualidade nos vocais e arranjos irreverentes, pitadas de dub, afrobeat e grooves brasileiros, a cantora e compositora Anelis Assumpção abre a edição 2019 do Projeto Concha. Filha do falecido cantor e compositor Itamar Assumpção, Anelis apresentará Taurina, álbum lançado em 2018.

Seu álbum de estreia, “Sou Suspeita, Estou Sujeita, Não Sou Santa” (2011) recebeu críticas dos principais festivais e line-ups do Brasil e Portugal. Em 2014,  lançou “Amigos Imaginários”, mixado pelo dub master nova-iorquino, Victor Rice, em que faixas com pesadas linhas de baixo e climas nebulosos evocam a sensação entorpecente das noites de uma megalópole latino-americana como São Paulo. O álbum lhe rendeu o prêmio Deezer de Artista do Ano em 2014, e o prestigiado prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) para Melhor Artista Revelação, no ano de 2015.

As suas letras em inglês, português e espanhol apresentam uma poética descompromissada, repleta de crítica social, em palavras entrelaçadas, sobre histórias de amor, vivências e comida. Em fevereiro de 2018, ela lançou seu terceiro álbum, "Taurina", para o qual buscou inspiração na sua própria selva de pedra, São Paulo, e nos alimentos de todos os tipos que prepara em alquimia na sua cozinha.

 

Residência Artística – Residência na Concha

Inscrições de 14 de fevereiro a 18 de março
15 vagas
Abril a dezembro de 2019
Inscrições aqui

Número de horas/aula por encontro quinzenal: 8h

Número total de horas/aula:  128h

Inscrições: via formulário online, com envio de projeto artístico. A curadoria selecionará as residentes com base nos seguintes critérios: produção autoral, relevância artística, originalidade, localidade (ser do estado do RS)

Orientação: Isabel Nogueira

Isabel Nogueira é Compositora-performer e musicóloga, doutora em musicologia (UAM/ Espanha) e graduada em piano (UFPel). Professora Titular do Departamento de Música (IA/UFRGS), atuando na graduação e pós-graduação. Coordena o Grupo de Pesquisa em Estudos de Gênero, Corpo e Música (UFRGS), tem trabalhos publicados sobre os temas de música e gênero, performance e criação sonora. Escreve regularmente para a Revista Linda de Cultura Eletroacústica, produziu textos para o Festival de Jazz do SESC/SP em 2018 e coordenou o Simpósio sobre Gênero, Corpo e Som no Congresso da ANPPOM, também em 2018. Participa dos coletivos Medula Experimentos Sonoros (RS), Strana Lektiri (com Leandra Lambert/RJ) e tem um trabalho em duo com a artista sonora Linda O Keeffe (UK).

Masterclass Inaugural (Juçara Marçal)

Esta masterclass será para apresentação dos projetos das residentes e uma conversa mais profunda sobre os caminhos de cada um. A presença da cantora e compositora Juçara Marçal, que em sua obra mistura ancestralidade e contemporaneidade, trabalhando ritmos originários brasileiros com a modernidade da música eletrônica, será de extrema importância para que as artistas reconheçam o caminho que querem seguir durante o ano de residência.

Juçara Marçal é cantora do grupo Metá Metá. Também já integrou os grupos Vésper Vocal e A Barca. Lançou em 2014 o disco solo ENCARNADO, com músicas de Kiko Dinucci, Rodrigo Campos, Tom Zé, entre outros compositores. O disco ganhou o Prêmio APCA – Melhor Álbum de 2014, Prêmio Governador do Estado – Melhor Álbum – Voto do Júri, e Prêmio Multishow de Música Compartilhada, entre outros. Em 2015, lançou ANGANGA, em parceria com Cadu Tenório, músico e experimentador carioca. Em 2017, com Rodrigo Campos e Gui Amabis, lançou o disco Sambas do Absurdo, inspirado no livro de Albert Camus.

Masterclass de escrita/composição (Angélica Freitas)

Nesta Masterclass as residentes irão se encontrar com a poeta pelotense Angélica Freitas, que irá trabalhar a escrita e as composições, falando de métrica, rimas e como trabalhar subjetividades nas escolhas de temas. As artistas irão exercitar a escrita de uma composição própria para que depois seja musicada coletivamente.

Angélica Freitas é autora dos livros de poesia "Rilke Shake" (vencedor do Best Translated Book Award, nos Estados Unidos, em 2016) e "Um útero é do tamanho de um punho" (Prêmio APCA de poesia em 2012), bem como da graphic novel "Guadalupe", em colaboração com o artista visual Odyr. Seus poemas apareceram em revistas como Poetry (EUA), Modern Poetry in Translation (Reino Unido), Granta (Reino Unido) e The White Review (França), e sua obra já foi publicada em Portugal, Alemanha, Espanha, Argentina e Estados Unidos. Em 2010, recebeu a Bolsa Petrobrás de criação literária com o projeto para a escrita "Um útero é do tamanho de um punho", e, em 2011, a Jean-Jacques Rousseau Fellowship, da Academia Schloss Solitude (Stuttgart, Alemanha) para o desenvolvimento de uma performance poética (que se transformou na série "Canções de Atormentar", realizada com a cantora e multi-instrumentista Juliana Perdigão). 

Masterclass expressão corporal (Bárbara Santos)

A Masterclass de expressão corporal será um dia em que as residentes irão se movimentar para trabalhar o corpo e a presença no palco. Muitas artistas ficam limitadas apenas nas questões sonoras e esquecem que quando estão no palco devem criar ligações com o público através de seus movimentos, danças ou postura. A atriz Bárbara Santos irá aplicar exercícios de teatro e dança para que as artistas soltem os movimentos e criem uma consciência maior sobre o próprio corpo.

Bárbara Santos é atriz, performer, roteirista e realizadora em Teatro e Cinema. Artista convidada do FESTVILA 2018. Divide com Chico César o espetáculo “Camaradas - Fantasia para dueto, camerata, camarim, atentado e passeata”, onde explora ações performativas e os limites expressivos do corpo nu. Integrante do Coletivo Estopô Balaio, tem experiência como atriz de teatro trabalhado com diversos grupos e artistas como Teatro Oficina Uzyna Uzona, Denise Stoklos, Núcleo TUSP de Teatro. Participou como performer de vários saraus poéticos, entre eles o Projeto Ciranda: Jogo da Palavra Falada. Idealizadora da Coletiva Arenga Filmes, realiza seu primeiro filme como roteirista e codiretora, em parceria com Ana Carolina Marinho e Anna Zêpa.

Masterclass Canto Popular (Alessandra Leão)

Alessandra Leão, vinda direto de Pernambuco e trazendo em suas raízes a música tradicional do nordeste como o coco e a ciranda, irá apresentar para as residentes novas formas de cantar, de usar a voz, através de exercícios práticos e de explanações teóricas e históricas a respeito do canto no Brasil. Por estarmos no Rio Grande do Sul, muitas vezes afastadas da cultura popular de outras regiões, esses encontros irão transformar a música que as artistas do Sul estão fazendo, as colocando em contato com outras possibilidades sonoras.

Alessandra Leão é Compositora, cantora e percussionista, nascida em Pernambuco. Foi uma das integrantes/fundadoras da banda Comadre Fulorzinha. Em 2006, inicia sua carreira solo com CD "Brinquedo de Tambor", em 2009, lança o CD "Dois Cordões" e mais recentemente a trilogia de EPs "Língua": composta pelos EPs “Pedra de Sal” (2014), “Aço” (2015) e “Língua” (2015). Entre esses discos, também lançou os CDs dos projetos: “Folia de Santo” (2008) e “Guerreiras - Trilha Sonora Original” (2010). Nesses 20 anos de carreira, Alessandra Leão atuou ao lado de músicos como: Antônio Nóbrega, Siba, Juçara Marçal, Guilherme Kastrup, Tulipa Ruiz, Cátia de França, Jorge Du Peixe (Nação Zumbi), Anelis Assumpção e Assucena (Bahias e Cozinha Mineira), tem parcerias com Chico César, Kiko Dinucci, Juliano Holanda e Lívia Mattos.

Curadoria e Coordenação Projeto Concha: Alice Castiel é formada em Produção Audiovisual na PUCRS e trabalha com produção cultural desde 2010 na cidade de Porto Alegre. Depois de produzir alguns shows pontuais na cidade como Metá Metá(SP) e Graveola(MG), direcionou seu trabalho para a música e hoje em dia gerencia criativamente e operacionalmente o Projeto Concha, projeto voltado a sensibilização e a escuta de artistas mulheres. Alice também produz e agencia bandas e projetos da cidade como a instrumental Trabalhos Espaciais Manuais e os cantautores Thays Prado e Pedro Cassel. 

 

Projeto Concha 2019

Idealização, produção e curadoria: Alice Castiel
Produção Executiva: Liege Biasotto
Assistência de Produção: Sofia Lerrer
Arte Gráfica: Silvia Pont
Midias Sociais: Daniele Rodrigues
Assessoria de Imprensa: Bruna Paulin
Orientação residência: Isabel Nogueira
Oficinas: Vitória Proença, Flora Guerra, Carol Zimmer, Alice Castiel, Bruno Zanotto
Masterclasses residência: Juçara Marçal, Alessandra Leão, Angélica Freitas, Bárbara Santos
Fotografia: Elizabeth Thiel
Captação em Video: Lisi Kieling

Compartilhe
GALERIA DE FOTOS