17 de outubro de 2020

Está nas ruas o Guia de Sobrevivência Cultural #05

Zine produzido pela Ciao em parceria com a Clandestina e o Circuito Orelhas chega à quinta edição

Música

Salve, gente boa! Como estamos? 

Esta é a quinta edição do nosso zine, com um apanhado de lançamentos, estreias e trabalhos produzidos por artistas independentes.

E como já é de praxe, fizemos uma playlist com as dicas do guia e outras músicas para embalar o fim do mês.

Seguimos! Na torcida de dias melhores.

Até logo :)

 

VÍDEO-DANÇA

A companhia de bambolês Umbigo de Bruxa, de Santa Maria-RS, formada por Camila Matzenauer e Natália Dolwitsch, apresenta no YouTube sua primeira vídeo-dança, ‘Orbitar/Habitar’. Os relatos presentes no vídeo foram reunidos através de uma caixa de perguntas do Instagrame de conversas com amigos próximos das artistas que também se encontravam em isolamento social. A performance foi contemplada no edital FAC Digital RS.

www.instagram.com/umbigodebruxa


MÚSICA

‘Duas Águas’, música da carreira solo de Ju Strassacapa, ganhou clipe dirigido pela fotógrafa e diretora de cena gaúcha radicada em SP, Gabriela Mo. Jú, artista não-binária também integrante da banda francisco, el hombre, divulgou ainda o processo de pintura em time-lapse da capa do single, pelas mãos da argentina Delia Montanha.

www.instagram.com/ju.strassacapa/

 

Primeiro álbum da cantautora porto-alegrense Gabriela Lery, ‘Arquipélago’ está disponível nas plataformas digitais de streaming. A maioria das composições foi feita durante reflexões da artista no momento de isolamento causado pela pandemia. Sentimentos como a ansiedade estão presentes nas canções, que formam um conjunto combinando a leveza e o brutal em um diálogo equilibrado. Além da carreira solo, Gabriela faz parte da banda de surf rock instrumental só de mulheres As Aventuras. Vale conferir!

https://www.instagram.com/as_aventuras

https://www.instagram.com/gabrielalery

Radicado em São Paulo, o ex-integrante da banda Mustache e os Apaches Pedro Pastoriz lançou seu terceiro disco em carreira solo, ‘Pingue-Pongue com o Abismo’ (RISCO, 2020). No disco, o músico canta, toca violão, guitarra e assina todas as composições com exceção de “Faroeste Dançante”, parceria com Fausto Fawcett, e “Lydia Réplica”, que divide com Lydia Del Picchia.

O título do álbum é extraído do poema “Uivo” (1956) de Allen Ginsberg (1926-1997), no qual ele cita o termo em referência ao poeta Carl Solomon (1929-1993), muso inspirador de sua escrita.

https://www.instagram.com/pedropastoriz/

ARTES CÊNICAS

De 21 a 30 de outubro, acontece o Festival Internacional de Artes Cênicas de Porto Alegre. Consolidado no calendário cultural da capital gaúcha com sua programação presencial, o POA em Cena foi adaptado ao contexto da pandemia: serão utilizadas plataformas de comunicação digital, permeadas com interações com o público de uma forma que inédita. As apresentações individuais, locais, internacionais, nacionais, lives e discussões ocorrerão por meio de projeções, ligação telefônica, WhattsApp, Zoom, e-mail, Instagram, YouTube, Spotify, Deezer. Com cenários sonoros – com os sons do sertão e a galeria virtual do Teatro Máquina, assim como nos semáforos da capital gaúcha e projeções em grandes edifícios pela cidade. Definitivamente, será uma nova forma de ver e fazer a arte cênica.

O festival inicia com a estreia nacional da video-performance-instalação Marcha À Ré (dia 21 de outubro), filme de Eryk Rocha, a partir da performance do Teatro da Vertigem e Nuno Ramos. Em seguida, será exibida a produção escocesa Body A (de 21 a 30 de outubro,), uma vídeo-instalação, de Colette Sadler e Mikko Gaestel. A obra reenquadra a ideia de tecnologia e testa limites sobre a relação entre humano e não humano, entre corpo e dados/informação. O espetáculo ganha transmissão no Canal em Cena e também projeções em prédio de Porto Alegre. Ao lado de As I Collapse (dias 29 e 30 de outubro – 18h, 18h45, 20h e 20h45), original da Dinamarca, as duas produções correspondem as atrações internacionais desse ano.

Uma das atividades confirmadas é Altamira 2042, de Gabriela Carneiro da Cunha, que viria presencialmente para o festival deste ano. A montagem sensorial promove uma instalação sonora composta por caixas de som que amplificam testemunhos sobre as perdas causadas pela construção da hidrelétrica de Belo Monte. 

https://www.portoalegreemcena.com/

AUDIOVISUAL

Já conhece o Libreflix? A plataforma de streaming colaborativa e gratuita oferece filmes, documentários, curtas e séries independentes para assistir, sem custo e sem necessidade de cadastro prévio. Lançado em julho de 2017 pelo curitibano Guilmour Rossi, o site distribui títulos super interessantes, dentro dos trâmites corretos de direitos autorais. O intuito é combater a pirataria e facilitar a seleção de obras na hora de procurar o que assistir.

Os títulos são separados por categorias, seja pelo formato – documentário, série, etc. – ou pelo tema que mais interessa ao usuário, como feminismo, veganismo, música, tecnologia ou ativismo. Ao clicar no que te interessa, surge um pequeno resumo da obra, o tempo de duração, o ano em que foi lançada e a classificação etária.

Um dos pontos altos é que qualquer pessoa pode submeter suas produções audiovisuais na rede, que após cadastradas, passarão por uma avaliação antes de irem para o catálogo. Ou seja, até mesmo se você tem um projeto bacana de TCC pronto e entregue, conseguirá expandi-lo para os olhos de outros expectadores. Atualmente, há cerca de 100 títulos em análise para liberação.

https://libreflix.org/

https://www.instagram.com/libreflix/

 

Compartilhe
GALERIA DE FOTOS