19 de março de 2020

Bienal 12 tem suas atividades suspensas e abertura prorrogada

Cumprindo orientações dos órgãos competentes, a Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul toma medidas de segurança para conter o avanço do Coronavírus

Artes Visuais

Gilberto Schwartsmann, Diretor Presidente da Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul, anuncia a suspensão das atividades de produção da Bienal 12 por quatro semanas e a prorrogação por tempo indeterminado da abertura física das exposições, que estava prevista para o dia 16 de abril de 2020.

Frente à pandemia de Coronavírus (COVID-19), a equipe segue trabalhando virtualmente para alcançar possibilidades que vão além das exposições que acontecerão no MARGS, CHC Santa Casa, Praça da Alfândega, Memorial do Rio Grande do Sul e Fundação Iberê Camargo, no sentido de estabelecer desdobramentos da Bienal 12 nas plataformas digitais.

Junto à equipe e à curadora Andrea Giunta, o Diretor Presidente tem trabalhado em soluções inovadoras e criativas para o momento. Uma das propostas que está sendo planejada para os próximos dias é o uso das redes sociais do projeto como uma ferramenta imediata de comunicação entre a Bienal, os artistas e o público.

 

O percurso da Bienal 12

Com a curadoria da escritora, professora e pesquisadora argentina Andrea Giunta, e tendo como equipe curatorial os brasileiros Fabiana Lopes, Igor Simões, e a polonesa Dorota Biczel, a mostra intitulada “Feminino(s). Visualidades, ações e afetos” tinha abertura prevista para o dia 16 de abril de 2019.

As atividades públicas da Bienal 12 tiveram início em novembro de 2018, com o Seminário Arte, feminismos e emancipação, e prosseguiram em setembro de 2019, com a construção da Câmara de Professores, reunindo profissionais de escolas, universidades, institutos federais e espaços de educação não-formal, como ONGs e museus, sob condução do curador pedagógico da Bienal 12, Igor Simões.

De outubro a novembro de 2019, aconteceram os cinco encontros do Território Kehinde. Realizados em Porto Alegre, Caxias do Sul e Pelotas, os eventos promoveram debates e rodas de conversa com a presença de convidadas e convidados para a construção coletiva de saberes.

Por fim, de fevereiro a março de 2020, foram realizados 10 Exercícios Coletivos de Dissenso, também sob coordenação do Programa Educativo. Os encontros constituíram a formação de mediadores que atuarão na Bienal 12 e contaram com a

presença de diferentes profissionais que compartilharam conhecimentos relacionados às temáticas da Bienal e à mediação em Artes Visuais.

 

Sobre a Fundação Bienal do Mercosul

Criada em 1996, a Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como missão desenvolver projetos culturais e educacionais na área de artes visuais, adotando as melhores práticas de gestão e favorecendo o diálogo entre as propostas artísticas contemporâneas e a comunidade. Ao longo de sua trajetória, a Fundação Bienal do Mercosul sempre teve como missão a ênfase nas ações educativas e os seguintes princípios norteadores: foco na contribuição social, buscando reais benefícios para os seus públicos, parceiros e apoiadores; contínua aproximação com a criação artística contemporânea e seu discurso crítico; transparência na gestão e em todas as suas ações; prioridade de investimento em educação e consolidação da Bienal como referência nos campos da arte, da educação e pesquisa nessas áreas.

Em 22 anos de existência, a Fundação Bienal do Mercosul realizou 11 edições da mostra de artes visuais, somando 615 dias de exposições abertas ao público, 74 diferentes exposições, participação de 1.759 artistas, com 4.849 obras expostas, intervenções urbanas de caráter efêmero e 16 obras monumentais deixadas para a cidade. Foram 6.061.698 visitas com acesso totalmente franqueado, 1.283.269 agendamentos escolares e 207.477 metros quadrados de espaços expositivos preparados, áreas urbanas e edifícios redescobertos e revitalizados. A Bienal do Mercosul contabiliza ainda 76.500 exemplares distribuídos dos catálogos das mostras, 298.000 exemplares de material didático produzido para alunos, professores e instituições de ensino, 216 patrocinadores e apoiadores ao longo da história e mais de 12.825 empregos diretos e indiretos gerados – além de seminários, conversa com o público, oficinas, curso para professores, formação e trabalho como mediadores para 1.893 jovens.

A Diretoria e os Conselhos de Administração e Fiscal da Fundação Bienal do Mercosul atuam de forma voluntária. Todos os eventos e ações da Fundação são oferecidos gratuitamente ao público, com recursos incentivados por uma grande rede de patrocinadores, parceiros e apoiadores.

Compartilhe