06 de maio de 2019

12 shows imperdíveis no mês de maio em Porto Alegre

Confira a lista com algumas das melhores atrações musicais deste mês na capital gaúcha

Música

Texto: Mariana Moraes
Edição: Amanda Zulke

 

O mês de maio mal começou e quatro grandes nomes da música já se apresentaram nos palcos porto-alegrenses: Lauryn Hill, Ney Matogrosso, The Internet e Mateus Aleluia. Pensando nisso, a Clandestina selecionou doze shows imperdíveis de maio para que ninguém termine o mês reclamando que não tem o que fazer nessa cidade – porque ô, se tem! Com artistas e bandas consagradas, incluindo nomes novos e talentosos da cena musical nacional e internacional, maio traz opções para todos os gostos. Confira!

Lembrando que listas são sempre seletivas e, infelizmente, muita coisa boa fica de fora. Pra isso, nada que não se resolva: é só clicar na Agenda da Clandestina e pesquisar tudo que tá rolando na cidade. 

 

1) Letrux: 9 de maio

A cantora carioca traz aquele esquema noite de climão mais uma vez para Porto Alegre. O show do primeiro álbum solo “Letrux Em Noite de Climão” rola no Bar Opinião, dia 9 de maio. O disco com sonoridade dançante, eleito o melhor de 2017 pelo Prêmio Multishow, inclui os hits “Ninguém Perguntou Por Você“, “Que Estrago” e “Flerte Revival”. Letrux é nome artístico de Letícia Novaes, diva camaleônica que além de compositora, é instrumentista, atriz e escritora. 

2) Terno Rei: 10 de maio

A banda paulistana surgida em meados de 2011 aposta no desenvolvimento de um estilo próprio conjugando sonoridades que passeiam pelo rock alternativo e a música brasileira. Na sexta, dia 10, Terno Rei traz ao Agulha o disco recém-lançado ‘Violeta’. O dream pop do quarteto está mais pop sem arredar pé do climão sensorial. Timbres eletrônicos ganham espaço, sobre os quais a voz de Ale Sater canta letras carregadas de sentimento.

3) Chico Chico e João Mantuano: 11 de maio

A dupla Chico Chico e João Mantuano sobe ao palco do Agulha pela primeira vez, apresentando canções próprias e de outros artistas. Passando pelo rock, samba, folk, blues, frevo, forró e baião, o show inclui ainda músicas de Caetano Veloso, João do Vale, Dorival Caymmi, Bob Dylan e Luiz Melodia, alguns dos mestres que marcam presença nessa inspirada mistura sonora. O show marca o início do Circuito Orelhas, projeto independente de shows que busca fortalecer o cenário musical da capital e impulsionar novos artistas.

4) Los Hermanos: 11 de maio

Após quatro anos longe dos palcos, Los Hermanos volta à Capital com um show que tem tudo pra emocionar o público. No repertório, pode-se esperar “Corre Corre”, "A Flor", “Último Romance”, “Sentimental” e “O Vento”, entre outros hinos do quarteto. A banda é um dos maiores destaques do indie rock nacional, tendo lotado estádios na turnê realizada em 2015.

5) Três Marias e Martinha do Coco: 16 de maio

O grupo porto-alegrense Três Marias e a cantora recifense Martinha do Coco dividem o palco do Agulha pelo Projeto Concha. Referência musical, cultural e afetiva para o grupo desde o seu início, Martinha acaba de lançar seu segundo álbum. A noite inicia com show das Três Marias e segue com o show Perfume Dela, da Mestra Martinha do Coco, acompanhada das Marias e convidadas especiais. Fique de olho: mensalmente o Projeto Concha leva ao palco do Agulha cantoras, musicistas e artistas do Brasil. 

6) Slash ft. Myles Kennedy & The Conspirators: 21 de maio

O grupo Slash ft. Myles Kennedy & The Conspirators apresentam show no Pepsi On Stage, trazendo faixas do novo álbum ‘Living the Dream’, quarto disco solo de Slash e o terceiro com Myles Kennedy e The Conspirators. Além de Myles Kennedy nos vocais (Alter Bridge), a banda que acompanha Slash é formada por Brent Fitz (bateria), Todd Kerns (baixo e vocais) e Frank Sidoris (guitarra e vocais).

7) Aurora: 23 de maio

A cantora norueguesa vem pela primeira vez a Porto Alegre em 23 de maio. O show rola no palco do Opinião e, no setlist, não faltarão músicas dos dois últimos álbuns da artista, “All My Demons Greeting Me as a Friend” (2016) e “Infections Of a Different Kind Step” (2018), incluindo os sucessos “Conqueror”, “Running With The Wolves”, “Queendom” e “Runaway”. No ano passado, Aurora fez um show elogiado no festival Lollapalooza. 

8) Elza Soares: 25 de maio

Umas das cantoras mais emblemáticas da música brasileira de todos os tempos, Elza retorna ao Opinião com a turnê do seu último álbum “Deus é Mulher”, lançado em 2018. Além de dar vida às intensas “Dentro de Cada Um”, “Exu nas Escolas”, “Língua Solta” e “Deus Há de Ser”, a artista ainda vai incluir no repertório da noite os melhores momentos do seu trabalho anterior “A Mulher do Fim do Mundo”, vencedor do Grammy Latino 2016.

9) Maglore: 25 de maio

A banda, que começou em Salvador no ano de 2009, mudou de formação e de residência. Agora em São Paulo, com Felipe Dieder, Lelo Brandão, Teago e Lucas Oliveira formando o quarteto, Maglore comemora dez anos de estrada com uma turnê especial pelo país – em Porto Alegre, aterrissa no Agulha no dia 25 de maio.

10) Jorge Drexler: 31 de maio

O cantor uruguaio volta à capital para apresentar o show intimista da turnê “Silente” no Teatro do Sesi, propondo um concerto solitário apenas com voz e violão. Vencedor de Grammys Latinos e um Oscar, o músico apresenta seu último trabalho de estúdio “Salvavidas de Hielo”, em um show cheio de paisagens sonoras e visuais.

11) Johnny Hooker: 31 de maio

O cantor sobe ao palco do Opinião para apresentar a turnê do seu segundo álbum, chamado “Coração”. O disco mistura samba, axé, tecnobrega e rock’n’roll e inclui os hits “Flutua” e “Corpo Fechado”. Além das suas canções mais recentes, o show promete também passear pelo seu repertório mais antigo, com os sucessos “Amor Marginal” e “Alma Sebosa”. 

12) Casa Ramil: 31 de maio a 2 de junho

Após o sucesso da temporada de 2018, com cinco sessões lotadas, o espetáculo musical Casa Ramil retorna ao palco do Theatro São Pedro. A junção de Kleiton, Kledir, Vitor, Ian, Thiago, João e Gutcha reproduz no palco o espírito da casa da família Ramil. Todos tocam e cantam, dividindo-se nos solos e somando-se nos vocais. Além dos tradicionais violões, baixo elétrico, violino, guitarra e percussão, a paisagem sonora incorpora saz, cuatro venezuelano, viola agostina, rabeca e efeitos eletrônicos. O repertório traz canções próprias de todos os compositores da família.

Compartilhe
GALERIA DE FOTOS